O Empenho Romano de Derrubar a Reforma Protestante

Queridos Amigos,

Da mesma forma que a Contra-Reforma foi a principal resposta da Igreja Católica Romana à fé bíblica dos Reformadores, através dos jesuítas; o Papa Francisco, um jesuíta, lidera hoje a Igreja Romana no empenho de anular a Reforma Protestante. Dessa forma, é de importância fundamental que entendamos o que este empenho envolve, de forma a não apenas impedi-lo mas também avançar a fé Reformada. Por favor, repasse o artigo abaixo a sua família e membros de sua igreja, e, se possível, coloque-o na Internet.  Obrigado. 

O Empenho Romano de Derrubar a Reforma Protestante

Por Richard Bennett

No séclulo XVI, a Contra-Reforma foi a resposta mais importante da Igreja Católica Romana à fé bíblica dos Reformadores, e se deu através dos jesuítas. De maneira agressiva, eles lideraram um movimento para restaurar o poder político e eclesiástico que a igreja romana tinha antes da Reforma. Por quatro séculos, os jesuítas lideraram os principais esforços de contra-reforma ao defender a autoridade papal, restaurar o sistema sacramental, e promover o misticismo e a superstição nas várias nações que haviam sido tocadas pela Reforma.  Eles buscaram pessoas de poder e posição e se empenharam e angariar o apoio daqueles que estavam em seu círculo de influência, principalmente ao ensinar seus filhos.

Essa prática jesuítica foi incorporada pelo Concílio Vaticano II de 1962-1965. Sua maior realização foi uma estratégia planejada do falso ecumenismo. A determinação foi a de que todass as outras denominações intitucionais “cristãs” e seus membros devem agora ser trazidosde volta a uma comunhão completa sob a Roma papal. Assim, desde o Concílio Vaticano II, a Roma papal tem trabalhado incansavelmente para ser reconhecida como a única Igreja Cristã. Todas as outras, principalmente as evangélicas, são designadascomo sendo “irmãos afastados” e só podem ser reconhecidos como cristãos autênticosao retornarem à união com a Igreja Mãe. Assim, a Igreja Romana continua a trabalhar em pró do dia em que seja aceita como a líder da Cristandade. 

O Empenho de Anular a Reforma Protestante Através da Federação Luterana Mundial (FLM)

Em 2016, o habilidoso jesuíta, Papa Francisco, lidera a Igreja Romana em suas atividades mais recentes para derrubar a Reforma. É de importância fundamental que entendamos como isto está ocorrendo de modo que não apenas o evitemos, mas também avancemos a fé Reformada. No dia 25 de Janeiro de 2016 o Serviço Católico de Notícias anunciou que Papa Francisco visitaria a Suécia no dia 31 de Outubro de 2016:

“para participar em um culto ecumênico e do início de um ano de atividades para marcar o aniversário dos 500 anos da Reforma Protestante. Papa Francisco liderará a comemoração ecumênica em Lund ao lado do Bispo Munib Younan, presidente da Federação Luterana Mundial, e do Reverendo Martin Junge, secretário geral da federação, disse um comunicado de imprensa conjunto, feito pelo Conselho Pontífico para a Promoçãoda Unidade Cristã e a FLM.”[1]

A apostasia da Igreja Católica Romana e da Federação Luterana Mundial já foi previamente confirmada quando, no dia 31 de Outubro de 1999 elas lançaram um acordo entitulado “Declaração Conjunta sobre a Doutrina da Justificação.”[2]  A declaração conjunta oficial sob o título “O Justificado como Pecador” diz: “Nós declaramos conjuntamente que, no Batismo, o Espírito Santo une o indivíduo a Cristo, justifica, e verdadeiramente renova a pessoa.”[3]  A verdade bíblica no entanto, é a de que a fé do crente não pode se basear em qualquer forma de obra física, já que a fé verdadeira é baseada na vida perfeita de Jesus Cristo e em seu sacrifício, que sozinho justifica a pessoa somente pela graça e somente por meio da fé.[4]  Afirmar que os efeitos causativos “no batismo” justificam um indivíduo diante do Santo Deus é tentar negar a graça do Senhor e Sua obra terminada na cruz. É “pregar um novo evangelho”[5]  A justificação somente pela graça de Deus, e apenas por meio da fé é o grande princípio que Martinho Lutero defendeu, o mesmo princípio que a Federação Luterana comprometeu completamente em 1999, com seu extensivo diálogo ecumênico com a Igreja Católica Romana.

A Igreja Romana Avança seu Punho Ecumênico Sobre a Igreja da Inglaterra

Além disso, no dia 9 de Fevereiro de 2016, o mesmo Serviço Católico de Notícias divulgou que:

“…[o] arcebispo de Westminster foi o anfitrião de um culto noturno na casa que pertenceu a Henrique VIII. Esta foi a primeira vez, em mais de 450 anos, que um culto foi realizado na Capela Real do palácio de acordo com os Rituais Latinos da Igreja Católica.”[6]

Essa última intrusão era previsível já que Papa Bento XVI fez uma visita papal ao Reino Unido em Setembro de 2010. A visita foi chamada “uma oportunidade sem precedentes de estreitar os laços entre o Reino Unido e a Santa Sé com relação a iniciativas globais e o papel importante da fé na criação de comunidades fortes.”[7]  O Pontífice endereçou a sociedade civil britânica em Westminster Hall [ambas as casas do Parlamento].” [8]

Embora o rei Henrique VIII tenha rompido politicamente como a Roma papal, ele nunca renunciou pessoalmente a doutrina católica romana. Consequentemente, a atual Igreja da Inglaterra, representada pelo arcebispo de Westminster e copiando a doutrina católica, está cada dia mais unida com a apóstata Igreja Católica através de diálogo ecumênico, precisamente como foi declarado no documento número 32 do Concílio Vaticano II como o objetivo papal.[9]

Agora, em 2016, os dois relatosque documentamos anunciam a realização de 500 anos de esforços papais para “anular” a Reforma Protestante.  Por isso, é necessário rever os fatos históricosda Reforma para demonstrar que os encontros ecumênicos católico romanos como o presidente da Federação Luterana Mundial (FLM) e o Arcebispo de Westminster têm como objetivo específico promover a traição apóstata da Fé Reformada.

A Fé Reformada Autêntica

Martinho Lutero na Alemanha; João Calvino, Lefevre, and Farel na França; e Zuínglio na Suíça; todos representam a fé Reformada autêntica. A natureza essencial da fé Reformada é a salvação diante do Deus Santo apenas por Sua graça. Unidos pela verdade da Palavra de Deus, eles criam que cada indivíduo é salvo somente pela graça de Deus como as Escrituras declaram: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie.”[10]  Cada um ensinou a verdade bíblica de que: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;  sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus…para demonstração da sua justiça [de Deus]  neste tempo presente, para que ele seja justo e também justificador daquele que tem fé em Jesus.”[11]

A Reforma possui características bem definidas, muitas das quais a separa de qualquer outro reavivamento na história. Uma das características mais distintas foi seu alcance territorial, já que começou simultaneamente e independentemente em vários países da Europa. Homens como Martinho Lutero, João Calvino, Lefevre and Zuínglio pregaram em uníssono contra os rituais do romanismo e exaltaram a fé somente em Cristo como o único meio de salvação. Embora Lutero seja chamado o originador da Reforma, os outros Reformadores, também proponentes da Escritura como base única para a verdade, pregaram o mesmo Evangelho da graça.

SOMENTE AS ESCRITURAS: O PRINCÍPIO DE PODER DA REFORMA

Depois de o que parecia ter sido anos intermináveis de contendas na heréticatradição papal, a Europa começou, na luz da Reforma, a caminhar em direção à fé cristã bíblica. Lutero falou eloquentemente ao coração do povo de Deus quando disse: “A não ser que eu seja convencido pelas Escrituras e pela razão –  eu não aceito a autoridade de papas e concílios, pois eles têm secontradito – minha consciência é cativa à Palavra de Deus. Eu não posso e não vou me retratar de nada, pois ir contra a consciência não é nem correto nem seguro. Esta é minha posição e não possofazer outra coisa. Que Deus me ajude! Amém.”[12]  De fato, Lutero tinha simplesmente descoberto o que havia sido o padrão atestado por nosso Senhor e Seus Apóstolos. Na tentação no deserto, o Senhor Jesus, por três vezes, repeliu o Diabo dizendo: “Está escrito”, como por exemplo, “Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.”[13]  Ao declarar “Está escrito”, o Senhor usou precisamente a mesma frase que está escrita oitenta vezes na Bíblia Sagrada. Esta frase repetida tantas vezes salienta a sua importância. A completa aceitação do Senhor quanto a autoridade da Palavra escrita é evidente em Suas palavras:  “Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido.[14]  E em outro verso está escrito: “pois engrandeceste acima de tudo o teu nome e a tua palavra.[15]  Os reformadores se submeteram à autoridade abosolutada Palavra de Deus, em acordo com o que o Apóstolo Paulo os ensinou:   Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra.”[16]

Assim, Lutero e os reformadores que o Senhor levantou naquela época sabiam que a consciência da pessoa é cativa à Palavra escrita de Deus: “Atua palavra é a verdade [17]  De fato, todo discípulo verdadeiro deve reconhecer que existe um padrão absoluto pelo qual as coisas devem ser julgadas sobre sua veracidade ou falsidade, e consequentementeagradáveis ou não a Deus.  Não é possívelter Jesus Cristo como Mestre e Senhor e, ao mesmo tempo, recusar o comando da Palavra do Pai nEle e através dEle. Se a pessoa ama o Pai, amará também Sua Palavra absoluta, ou seja, sem a contaminação da tradição.  “A tua palavra é fiel a toda prova, por isso o teu servo a ama.[18]  Uma pessoa não pode dizer que ama a Deus, e não amar a Sua Palavra, pois as marcas da verdadeira afeição são óbvias nas Escrituras: “Acharam-se as tuas palavras, e eu as comi; e as tuas palavras eram para mim o gozo e alegria do meu coração.”[19]

Tendo colocado sua fé em sujeição à Palavra escrita de Deus, os Reformadores não poderiam fazer outra coisa que condenar o falso dogma católico romano de que “a tradição sagrada” é essencial para o conhecimento da verdade. Ainda assim, essa falsa crença permanece como sistema de crença da Igreja de Roma, como está registrado no Catecismo da Igreja Católica. “A Tradição sagrada e a Sagrada Escritura estão intimamente unidas e compenetradas entre si.” O Catecismo da Igreja Católica também declara, “E a Tradição [Sagrada] transmiteintegralmente a Palavra de Deus, a qual foi confiada aos apóstolos pelo Senhor Cristo e pelo Espírito Santo.” “Daí resulta que a Igreja [Católica Romana]… não tira só da Sagrada Escritura a sua certeza a respeito de todas as coisas reveladas. Por isso, ambas devem ser recebidas e veneradas com igual espírito de piedade e reverência ”[20]

Aprendendo o Caminho da Verdade e da Vida dos Reformadores

Na época da Reforma Protestante, a educação e a busca da verdade se tornaram elementos básicos para a vida. À medida que o movimento cresceu em toda Europa e nas Ilhas Britânicas, uma grande amizade e fraternização se desenvolveu entre os Reformadores. Houve um frequente intercâmbio de idéias, e a hospitalidade cresceu livremente. Uma das características mais surpreendentes da Reforma foi o extensivo contato e cooperação entre os Reformadores, à medida em que eles se encorajavam mutuamente em seus esforços. A Reforma se alastrou com grande rapidez. É claro que consolidações, refinamentos e extensões eram inevitáveis, mas é difícil imaginar que um reavivamento tão tremendo e em tão vasta escalapudesse ser executado em tão curto tempo, trazendo consigo uma mudança completa no pensamento e na vida das pessoas.  Isso foi necessariamente providencial, pois naquele tempo haviam homens educados que sabiam o Hebreu, o Latin e o Grego, necessários para ler a Bíblia como estava disonível na época. E era essencial que a Bíblia fosse traduzida na língua comum de cada país para que o povo tivesse o privilégio de lê-la em seu próprio idioma, e essa tarefa exigia erudição. A pregação de muitos Luteros, Latimers, Zuínglios, Knoxes, and Wisharts teria falhado em alcançar a Reforma se, ao mesmo tempo, a Bíblia não tivesse sido fornecida ao povo na língua comum de cada país. Se no momento em que Latimer estava pregando em Cambridge, Tyndale, que havia fugido para o continente,  não tivesse contrabandeadomilhares de cópias do Novo Testamento em Inglês para que todo britânico pudesse ler sobre o caminho da salvação por si mesmo, a Reforma não teria acontecido na Inglaterra. A situação aconteceu de forma semelhante na Alemanha, França e em outros países.

A Reforma legítma, que foi a ruptura com o totalitarianismo católico romano, foi alcançada em um tempo relativamente curto. A Reforma foi um movimento constante e abrangente do Espírito Santo. Aquele foi um período de avivamento espiritual verdadeiro e glorioso, quando multidões foram libertadas da escravidão, da superstição e do ritualismo do Papado apóstata, e convertidas peloEvangelho da Graça. A recuperação da autoridade absoluta das Escrituras levaram à obediência a Deus e Sua Palavra, da mesma forma que a redescoberta da doutrina da justificação somente pela graça através da fé levou todo crente verdadeiro a um contato pessoal e direto como reavivamento de Deus.

A Herança da Reforma Protestante

Qual é então a herança da Reforma? Como podemos aprender com ela para os dias de hoje? A própria Reforma foi um reavivamento, fundamentado não apenas na Palavra de Deus, mas também em oração como os prévios e subsequentes reavivamentos. Spurgeon claramente descreveu a oração como o suporte que sustentou a Reforma. Spurgeon disse, “Não pensem que Lutero foi o único homem que deu vida à Reforma! Havia centenas que suspiravam e clamavam em segredo: “Ó Deus, por quanto tempo?” nas casas de campo da Floresta Negra, em lares na Alemanha, nas colinas da Suíça, em palácios da Espanha, nas masmorras da Inquisição, e nas estradas da Inglaterra.”[21]  Dessa forma, oração foi o alicerce desse grande movimento à medida em que os pedidos dedicados em orações de inúmeros corações por toda a Europa imploraram ao Senhor para mandar um mover poderoso do Seu Espírito.

O primerio grande avivamento depois da Reforma aconteceu no século 18, tanto na América como na Gran Bretanha, o qual estava associado com Jonathan Edwards and George Whitefield. Antes do derramamento da graça do Senhor, encontramos a oração na vida desses homens e na vida daqueles associados a eles. Além disso, na Irlanda do Norte em 1859 e final do século 19, e no no País de Gales, no começo do século 20, a oração antecipou essas Reformas.

Conclusão

Os Reformadores proclamaram em seus ensinamentos bíblicos que somente Deus é eterno, infinito e imutável em Seu ser, bondade, santidade, justiça, poder, verdade e sabedoria. Assim, somente Ele ouve orações; somente Ele é o Todo Santo, somente Ele é o Santo Pai. Resumindo, somente a Deus pertence toda a glória. Assim, os planos do Papa Fracisco de visitar a Suécia no dia 31 de Outubro de 2016, e o fato de o Arcebispo de Westminster ter promovido um culto noturno na casa que pertenceu ao rei Henrique VIII são exemplos óbvios da apostasia da Igreja Romana. Em 2016, o pecado abunda de fato, e a santidade de Deus, o temor a Ele, a convicção do pecado, e o Evangelho da Graça são necessários. Com toda essa abundância de pecado e engano, como vivemos e reinamos com Cristo Jesus nos dias de hoje? A Bíblia nos dá uma resposta: “Porque, se pela ofensa de um só, a morte veio a reinar por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo.[22]  Quando recebemos a abundante graça dada por Cristo, nós somos redimidos do domínio da morte, e vivemos e reinamos com Cristo à medida que somos santificados diariamente através de Sua Palavra, pelo Espírito Santo, e pela constante comunhão com Ele. Também com Ele, devemos reinar para sempre e glorificá-lo por toda a eternidade. Creia somente nEle e você estará seguro nEle, “para o louvor da glória da sua graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado.”[23]

É somente pelo poder da graça de nosso Senhor Jesus Cristo que podemos verdadeiramente viver a vida cristã, assim como o fizeram os Reformadores nos séculos 16, 17 e 18. O sacrifício do Senhor é  para o crente, de modo que Ele colou-se como substituto no lugar dos pecadores que viriam a crer, e, assim, satisfez a lei em seu lugar. Sua substituição foi tão autêntica que o Seu sacrifício pelos Seus eliminou toda a necessidade de punição. Ao se tornar o substituto por Seu povo, Cristo tomou para si responsibilidade legal que era deles. Nas palavras maravilhosasdas Escrituras: “mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo de lei, para resgatar os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos.”[24]  O Senhor Deus prometeu ser o Pai de todos os crentes verdadeiros – para que estes sejam Seus filhos e filhas.  Esta é a maior honra possível. É uma ingratidão repugnante que alguém difame tal presente e rejeite o Senhor Jesus e   asalvação em favor da apóstata Igreja Católica Romana. Por conseguinte, o Senhor prometeu:           “Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.[25]  Aqueles que atendem ao chamado de Deus são dados a Cristo, pois é apenas através de Seu sangue que estes podem ser salvos. O Senhor Deus, através de Seu Espírito Santo, convence do pecado, da justiça e do julgamento aqueles que reconhecem sua iniquidade e sua necessidade de salvação.  O Senhor está lhe chamado? Apenas no Senhor Jesus você pode encontrar a liberdade e a vida eterna! Por Sua graça, creia nEle e apenas nEle: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie.”[26]


Richard Bennett of “Berean Beacon”

Website: http://helpforcatholics.org

O autor autoriza a cópia desse artigo desde que seja feita em sua totalidade, sem alterações. É também autorizada a publicação desse artigo em sua totalidade em web sites na Internet


[1]  www.catholicherald.co.uk/news/2016/01/25/pope-francis-to-visit-sweden-for-reformation-commemoration/   23/02/2016

[2]  Veja o artigo no site: www.bereanbeacon.org/new-blog/2015/10/17/the-catholic-lutheran-accord

[3]  O Acordo Luterano-Católico, “A Declaração Conjunta Sobre a Doutrina da Justificação” 31 de Outubro de 1999, Sect. 4.4

[4]  João 6:29; Romanos 2:28, 29; Efésios 2:8, 9; Colossenses 2:11; Romanos 3:21-26

[5]    Gálatas 1:9

[6]  www.dailymail.co.uk/news/article-3439293/Hampton-Court-Palace-chapel-holds-Catholic-service-Henry-VIII-broke-away-Rome-16th-century.html  23/02/2016

[7]  https://zenit.org/articles/uk-queen-government-welcome-papal-visit

[8]  http://www.zenit.org/article-28654?l=english

[9]  Documento do Concílio Vaticano II “Reflecções e Sugestões a Respeito do Diálogo Ecumênico”  Agosto 1970

[10] Efésios 2:8-9

[11] Romanos 3:23-24, 26

[12] http://www.christianity.com/church/church-history/timeline/1501-1600/martin-luthers-most-noble-words-11629925.html

[13] Mateus 4:4

[14] Mateus 5:17-18

[15] Salmo 138:2

[16] 2 Timóteo 3:16, 17

[17] João 17:17

[18] Salmo 119:140

[19] Jeremias 15:16

[20] Catecismo da Igreja Católica, Parágrafos 80, 81 e 82

[21] www.the-highway.com/revival-reformation_Lamb.html 23/02/2016

[22] Romanos 5:17

[23] Efésios 1:6

[24] Gálatas 4:4-5

[25] João 6.37

[26] Efésios 2:8-9